Comportamentos de fuga e evitamento e os reforços negativos

Updated: Jul 4, 2019



Que efeitos tem a fuga na nossa autonomia? Que efeitos tem nas nossas habilidades sociais? A médio e a longo prazo, a fuga terá, à mesma, caracter de proteção? Ao fugirmos de alguma situação, sensação ou de alguém podemos tornarmo-nos insensíveis ao meio, ao que sentimos ou aos outros? Qual ou quais o(s) estimulo(s) negativo(s) a que tem fugido?

Tendencialmente fugimos do que nos é aversivo ou punitivo (reforço negativo) e se sentirmos algum êxito na fuga, maiores serão as hipóteses de manter a frequência do comportamento. A fuga dá-se no mesmo ambiente do estímulo aversivo / reforço negativo e caracteriza-se por uma interrupção da ocorrência. Já o evitamento consiste numa fase posterior à fuga, pois fugindo do que não agrada ou é insuportável leva a evitar a ocorrência no futuro ou a entrar em contacto com o estímulo negativo ou a sua envolvente.

Na Psicologia Comportamental designamos como reforço negativo o estímulo que aumenta e mantém a emissão de respostas / comportamentos de retirada perante o que se sente como aversivo (por oposição a reforço positivo, conotado com apresentação e aceitação). Sem avaliação de mau ou bom.

Ao fugirmos ou ao evitarmos as contingências do que para cada um de nós constitui reforço negativo, exercemos controle aversivo. No curto prazo, tal gera alívio ou garante a sobrevivência – e, muitas vezes, com a falsa sensação de controlo sobre o meio - mas a médio e a longo prazo pode dificultar-nos a percepção de reforços positivos, pode deixar de ter carácter protectivo, pode colocar problemas de autoconfiança e de autonomia perante desafios, comprometimento da maturidade emocional, comprometimento de habilidades sociais e do estabelecimento de relações que envolvam confiança e intimidade, além de que ao comportarmo-nos somente com base no que, para nós, é seguro pode tornar-nos rígidos e inflexíveis ou até, chegar a construir um universo de fantasia.

Alice Patrício, psicóloga na Psicomindcare


61 views

Psicomindcare 2020. Todos os direitos reservados. 
Os conteúdos deste website podem ser alterados sem aviso prévio.

NIPC: 510 263 631